FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM EDUCAÇÃO INCLUSIVA. ANÁLISE DA ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA DA UNESP-FCLAR EM MATÉRIA DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA.

Maria Odete De Mattos

Resumo


Atualmente, o curso de Pedagogia da UNESP-FCLAr, está estruturado por uma grade de disciplinas obrigatórias, as quais buscam dar resposta às diretrizes apresentadas e garantir uma formação que assegure a aquisição de conhecimentos necessários para a prática da profissão. Este estudo organizado a partir de uma análise documental desde uma concepção qualitativa para o estudo dos dados a partir, fundamentalmente, do Projeto Pedagógico do curso de Pedagogia da UNESP-FCLAr ao longo do ano de 2016. Na análise que apresentamos, observamos um descompasso entre a proposta teórica de resposta a um modelo de escola inclusiva e o atendimento a todos os alunos e os conteúdos que aparecem nas disciplinas do projeto pedagógico do curso de Pedagogia estudado. Os resultados indicam que o PPP está debilmente articulada em relação ao tema da educação inclusiva, uma vez que identificamos apenas sete disciplinas de um total de 42 que contemplam de forma direta o tratamento em seus programas. Da mesma forma, num outro estudo identificamos que os alunos indicaram explicitamente que somente a disciplina de educação especial aborda de modo direto e quase exclusivo todo o conteúdo. No PPP está registrado que as referências à inclusão são escassas, com apenas duas aparições explícitas e outras indiretamente, estando relacionadas com disciplinas e não com modelos ou filosofia.


Texto completo:

PDF

Referências


FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS DE ARARAQUARA. Universidade Estadual Paulista. Projeto Pedagógico do Curso de Pedagogia. Coordenação de Vera Teresa Valdemarin. Araraquara: FCLAr/UNESP, 2007. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2016.

______. Projeto Pedagógico do Curso de Pedagogia. Coordenação de Marilda da Silva. Araraquara: FCLAr/UNESP, 2010. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2016.

GATTI, B. A. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação Social, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out.-dez. 2010. Disponível em: Acesso em: 14 jun. 2016.

MENDES, E. G. Inclusão marco zero: começando pelas creches. Araraquara: Junqueira & Marin, 2010.

OLIVEIRA, M. L. et al. Educação inclusiva e a formação de professores de ciências: o papel das universidades federais na capacitação dos futuros educadores. Revista Ensaio, Belo Horizonte, v. 13, n. 3, p. 99-117, set.-dez. 2011.Plestch (2009),

POKER, R. B. P.; SANTOS, D. F. dos; PEREIRA, G. Formação do pedagogo na perspectiva educacional inclusiva: em questão a situação dos cursos de pedagogia da Universidade Estadual Paulista - Unesp. In: CONGRESSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES, 2011, Águas de Lindóia. Anais... Águas de Lindóia: Pró-Reitoria de Graduação UNESP, 2011. p. 4950-4962.

VITALIANO, C. R. (Org.). Formação de professores para inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais. Londrina: Eduel, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.