ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA DE ALUNOS PERTENCENTES AOS PRIMEIROS ANOS ESCOLARES E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES ATUANTES EM TAIS ANOS: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Fabricya Jeremias Silveira

Resumo


O ensino de Ciências sempre esteve presente no currículo escolar, contudo, nem sempre em todos os níveis escolares (PCN, volume 4, p. 13). O que era considerado necessário apenas às séries “ginasiais”, atual Ensino Médio, hoje é parte integrante do currículo escolar em todos os níveis da Educação Básica, inclusive a Educação Infantil. Tal ensino, desde a mais tenra idade, contribui para a compreensão da sociedade em que o indivíduo se encontra. O objetivo geral da pesquisa é realizar um levantamento bibliográfico acerca da Alfabetização Científica nos primeiros anos escolares. Através dele, pretende-se verificar a contribuição de espaços não formais para tal processo e a importância da formação continuada de professores para que a mesma seja concretizada. Para tanto, realizou-se uma pesquisa qualitativa através de artigos publicados entre os anos de 2013 a 2017 disponíveis nas bases de dados SCIELO, CAPES e Google Acadêmico. Ademais, utilizou-se documentos legais como UNESCO (2014) e os PCN (1997). O resultado obtido através da pesquisa revelou que o processo de Alfabetização Científica é essencial ao indivíduo, pois contribui para o pensamento lógico, seja em fatos cotidianos ou científicos, além de desenvolver cidadãos envolvidos e transformadores da sociedade. Concluiu-se ser necessário a formação continuada de professores, principalmente atuantes nas séries iniciais, para que tal processo seja eficiente e interdisciplinar. Além disso, vê-se essencial que novas pesquisas sejam realizadas e que mais professores se engajem na constante renovação da Ciência.


Texto completo:

PDF

Referências


COSTA, Luana Monteiro da; ALMEIDA, Sandra Oliveira de; FACHÍN-TERÁN, Augusto. Alfabetização científica e educação infantil nos espaços educativos: as percepções dos educadores. 4º Encontro Internacional de Ensino e Pesquisa em Ciências na Amazônia, Manaus, 2014.

ALMEIDA, Erick Rodrigo Santos; FACHÍN-TERÁN, Augusto. A alfabetização científica na Educação Infantil: possibilidades de integração. Lat. Am. J. Sci. Educ, Manaus, v. 2, n. n. esp., p. 12032, 2015.

MARCHESAN, Michele Roos; KUHN, Malcus Cassiano. Alfabetização científica e tecnológica na formação do cidadão. Revista Thema, Pelotas, v. 13, n. 3, p. 118 - 129, 2016.

SASSERON, Lúcia Helena. Alfabetização científica, ensino por investigação e argumentação: relações entre ciências da natureza e escola. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 17, n. spe, p. 49-67, 2015.

ARAÚJO, Rafaele Rodrigues de; ALVES, Cristiane da Silva. O projeto “Novos Talentos” na promoção de discussões sobre formação interdisciplinar de professores. Revista Conexão UEPG, Ponta Grossa, v. 11, n. 2, p. 150-157, 2015.

VIECHENESKI, Juliana Pinto; CARLETTO, Marcia. Por que e para quê ensinar ciências para crianças. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, v. 6, n. 2, p. n. esp., 2013.

SILVA, Marcelo da Scabelo da; CAMPOS, Carlos Roberto Pires. Atividades investigativas na formação de professores de ciências: uma aula de campo na Formação Barreiras de Marataízes, ES. Ciência & Educação, Bauru, v. 23, n. 3, p. n. esp., 2017.

MARCHESAN, Michele Roos; KUHN, Malcus Cassiano. Alfabetização científica e tecnológica na formação do cidadão. Revista Thema, Pelotas, v. 13, n. 3, p. 118 - 129, 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.