ESPAÇOS LÚDICOS NO CONTRA TURNO ESCOLAR COMO MEIO DE ENRIQUECIMENTO DA PRIMEIRA INFÂNCIA

Rafael Belmejo Marques, Dalmo Grusca, Tiago Aquino da Costa e Silva, Alipio Rodrigues Pines Junior

Resumo


Este trabalho teve por objetivo apresentar a necessidade dos espaços lúdicos no contra turno escolar como meio de enriquecimento da primeira infância. A primeira infância que vai dos dois aos sete anos. É a fase de descobertas, experimentação e principalmente de grande aprendizagem para as crianças. Fase esta que deve ser explorada ao máximo, possibilitando o maior número de vivências e experiências possíveis, a partir das aprendizagens adquiridas nesses momentos, será formado os conhecimentos do indivíduo em suas próximas fases. O que vem na contramão desse processo infantil são os métodos realizados por algumas das instituições de ensino presentes em nosso país, já que processos de aprendizagens estão sendo adiantados e etapas cruciais da primeira infância vão se perdendo, unido a isso temos também as novas estruturas familiares, onde cada vez mais os pais passam menos tempo com seus filhos, devido a uma vida cotidiana muito atribulada. Com esse cenário surgem então alguns espaços lúdicos e recreativos com o intuito de suprir essa necessidade e defasagem das crianças, pequenas ações como o brincar livre, exploração de ambientes e materiais, unidos a trabalhos lúdicos e profissionais com escuta atenta, geram grandes diferenças no desenvolvimento da primeira infância, resultando em um enorme enriquecimento e aproveitamento dessa fase. Os procedimentos metodológicos consistem em dois procedimentos. Primeiramente utilizou-se a abordagem dedutiva, onde parte de teorias e leis com princípios universais e previamente aceitos para a elaboração de conclusões sobre fenômenos universais ou particulares; e por fim O segundo procedimento é relativo ao tipo de pesquisa adotado, neste caso, a pesquisa indireta que é caracterizada pela utilização de informações, conhecimentos, e dados já coletados por outras pessoas e demonstrados de diversas formas. As atividades extracurriculares são muito importantes para o desenvolvimento da criança, pois ela precisa de um momento fora da realidade dela, onde ela passa a fazer atividades que desenvolvam o seu físico e também o seu psíquico, o que acaba facilitando no seu aproveitamento escolar, tendo maior facilidade para aprender e desenvolver suas atividades. A criança quando pratica atividades extracurriculares mantém sua energia sempre renovada, e sempre possui mais disposição para realizar as tarefas diárias, tornando ela participativa e voluntária a novas experiências. Considera-se que espaços extracurriculares que produzem bons trabalhos no contra turno escolar podem enriquecer de forma significativa o desenvolvimento da criança, seja ele cognitivo, cultural, motor e até mesmo social.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.