AVALIAÇÃO DO CONSUMO ALIMENTAR DE FÓSFORO EM PACIENTES EM HEMODIÁLISE

Thalyta De Freitas Guedes, Tynara Rayane Da Silva Lima, Lidiane Silva Rodrigues Telini

Resumo


A doença renal crônica (DRC) é caracterizada pela fase terminal da doença renal, onde ocorre uma perda progressiva e irreversível da função renal. Seu tratamento consiste em terapia renal substitutiva, como a hemodiálise (HD). A HD é um processo de filtração do sangue que remove o excesso de líquidos e metabólitos, mas não substitui as funções fisiológicas dos rins. A hiperfosfatemia é uma condição muito frequente entre os pacientes com DRC. O tratamento da hiperfosfatemia inclui medidas de controle da ingestão de fósforo (P), do uso adequado dos quelantes de P e de diálise de boa eficiência. Somente a diálise não é suficiente para manter o nível do P adequado, pois a depuração de P é feita somente por quatro horas, e é inferior à quantidade diária ingerida, por isso o uso de quelantes é uma alternativa para diminuir a absorção do P. A orientação nutricional da ingestão de P é bastante complicada, pois os alimentos que são fontes de P também são fontes de proteínas, sendo assim, deve-se aconselhar a ingestão de alimentos proteicos com baixa concentração de P. Avaliar o consumo dietético de P nos pacientes em HD. O consumo alimentar e o estado nutricional foi analisado através do questionário de frequência alimentar e estimava de ingestão proteica (PNA). Foram realizados exames bioquímicos: cálcio, P, albumina, creatinina e uréia. Análise estatística: Os resultados foram expressos como média ± desvio padrão ou mediana, de acordo com as características de normalidade de cada variável. Análise descritiva das características gerais e análise de regressão. Foi considerando significativo valor de p<0,05. A idade média foi de 62 ± 13 anos, sendo 61,3% do sexo masculino. Entre esses pacientes, 23% encontravam-se com o P acima da normalidade, segundo os exames laboratoriais. Os pacientes faziam uma maior ingestão de alimentos ricos em fósforo natural. Através da análise de regressão o PNA X P foi R=0,34, R²- 0,121, p=<0,01. O inquérito alimentar foi um ferramenta importante na identificação de alimentos ricos em fósforo consumido, sendo necessário o acompanhamento nutricional constante orientação e prevenção da hiperfostatemia.

Palavras-chave: Hemodiálise. Fósforo. Questionário de frequência alimentar.

 

REFERÊNCIAS:

 

HIGA, K.; KOST. M. T.; SOARES, D. M.; MORAIS, M. C.; POLINS, B. R. G. Qualidade de vida de pacientes portadores de insuficiência renal crônica em tratamento de hemodiálise. Acta Paul Enferm, n. 21, p.206-6, 2008.

 

MACHADO, A. D.; BAZANELLI, A. P.; SIMONY, R. F. Avaliação do consumo alimentar de pacientes com doença renal crônica em hemodiálise. Revista Ciência e Saúde. Porto Alegre, v. 7, n. 2, p. 76-84, maio/ agosto, 2014.

 

NERBASS, F. B.; MORAIS, J. G.; SANTOS, R. G.; KRUGER, T. S.; KOENE, T. T.; FILHO, H. A. L. Adesão e conhecimento sobre o tratamento da hiperfosfatemia de pacientes hiperfosfatêmicos em hemodiálise. J Bras Nefrol, v. 2, n. 32, p. 149-155, 2010.

 

CARVALHO, A. B.; CUPPARI, L. Controle da hiperfosfatemia na DRC. J Bras Nefrol, v.33, n 2, p. 189-247, 2011.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


UNIFEV - Centro Universitário de Votuporanga