DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES SOCIAIS NA INFÂNCIA COM ENFOQUE NA PROMOÇÃO DE RELACIONAMENTO INTERPESSOAL PARA MELHORA DA SAÚDE

Adriano Sucena Pita, Andressa Melo Sother, Guilherme Cabral Ramalho, Maria Aparecida Do Carmo Dias, Talita Pereira Dias

Resumo


O termo saúde é concebido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como um bem-estar físico, social e mental, o que inclui aspectos associados à qualidade das relações sociais do indivíduo. Para manter bons relacionamentos, é importante desenvolver as sete habilidades sociais da infância, pois esse é o período de início do desenvolvimento cognitivo, emocional, social e momento de maior capacidade de aprendizagem. As habilidades compreendem a civilidade, expressividade emocional, empatia, fazer amizades, autocontrole, solução de problemas e a assertividade. Estas incluem comportamentos aprendidos e adotados para resolver situações interpessoais, influenciando no relacionamento familiar, perspectiva profissional e qualidade de vida do indivíduo. Com base nesse panorama, percebe-se a importância das habilidades sociais como assertividade, autocontrole e solução de problemas, dentre as sete existentes. Para promovê-las é necessário que haja avaliação dos comportamentos. Nesse sentido, as crianças, os pais e os professores são fundamentais como informantes. Dessa forma, o objetivo da pesquisa foi avaliar as habilidades sociais da assertividade, autocontrole e resolução de problemas de crianças de acordo com a percepção dos pais e professores. Participaram da avaliação 14 pais e dois professores, que avaliaram 15 crianças, entre seis e oito anos, de uma escola municipal de ensino fundamental do noroeste paulista no período de agosto a outubro de 2017. Foi aplicado um questionário sobre relacionamento interpessoal respondido pelos pais e pelos professores sobre cada criança. Quanto aos pais, houve 14 participantes pois um não respondeu ao questionário, sendo que seis (42,8%) relataram que os filhos são assertivos, 11 (78,5%) possuem autocontrole e oito (57%) possuem habilidades de solucionar problemas. Os professores relataram números parecidos avaliando que oito (53%) foram assertivos, 11 (73%) possuem autocontrole e sete (46,6%) têm habilidades de solucionar problemas. Concluiu-se que houve discrepância de mais de 10% na assertividade e na solução de problemas, comparando-se as avaliações dos pais e professores, sendo que a assertividade teve o menor índice, seguida pela solução de problemas. Já o autocontrole teve a melhor avaliação. Considerando-se os resultados obtidos nos questionários, uma intervenção com dinâmicas e brincadeiras voltadas para o desenvolvimento da assertividade e da solução de problemas, principalmente, poderia ajudar de forma significativa a criança a lidar com situações adversas e estressantes desde a vida infantil até as demais fases do desenvolvimento.

Palavras-chave: Habilidades sociais. Assertividade e autocontrole. Relacionamento interpessoal.

 

REFERÊNCIAS:

 

COLOMBO, Greice; PRATI, Laíssa Eschiletti. Maturidade para escolha profissional, habilidades sociais e inserção no mercado de trabalho. Revista Brasileira de Orientação Profissional, v. 15, n. 2, p. 201-212, 2014.

 

DEL PRETTE, Zilda Aparecida Pereira; DEL PRETTE, Almir. Psicologia das habilidades sociais na infância: teoria e prática. Petrópolis: Vozes, 2005.

 

FEITOSA, Fabio Biasotto et al. Desempenho acadêmico e interpessoal em adolescentes portugueses. Psicologia em Estudo, v. 14, n. 2, p. 259-266, 2009.

 

MAIA, Denise da Silva; BORTOLINI, Marcela. O desenvolvimento da habilidade de assertividade e a convivência na escola: relato de experiência. Psicologia em Revista, v. 18, n. 3, p. 373-388, 2012.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


UNIFEV - Centro Universitário de Votuporanga