LEVANTAMENTO SOBRE A PREVALÊNCIA DE HIPERTENSÃO E RISCO DE DESENVOLVER DIABETES EM TRABALHADORES DE UMA EMPRESA DE UMA CIDADE DO INTERIOR DE SÃO PAULO

Roberta Bonamim Fiorilli, Beatriz Beretta Alves, Giovana de Padua Oliveira, Milton Gabriel Moreira Neto, Maria Aparecida do Carmo Dias

Resumo


A população masculina no Brasil corresponde a 100.955.522 habitantes, dos quais 56% está na faixa etária de 20 a 59 anos, sendo 21.100.483 no estado de São Paulo. Avessos à prevenção e ao autocuidado, é comum que protelem a procura de atendimento, permitindo que os casos se agravem e ocasionando, ao final, maiores problemas e despesas para si e para o sistema de saúde, que é obrigado a intervir nas fases mais avançadas das doenças. Uma questão apontada pelos homens para a não procura pelos serviços de saúde seria o horário do funcionamento destes. Por coincidirem com a carga horária do trabalho, deixam de procurar o sistema saúde por medo de perderem seus empregos. O objetivo da pesquisa foi levantar o número de trabalhadores hipertensos e com glicemia capilar alterada. Trata-se de uma pesquisa descritiva e exploratória realizada pelos acadêmicos do 5º período de medicina durante os meses de setembro a outubro de 2017. Participaram da pesquisa 45 homens de 19 a 59 anos. Desses 21 (47%) apresentaram níveis pressóricos acima dos parâmetros de normalidade. Quanto a classificação, quatro (19%) estão pré-hipertensos, 15 (71,5%) estão no estágio 1 e dois (9,5%) encontram-se no estágio 2. Em relação à glicemia capilar, apenas um trabalhador apresentou alteração. Espera-se que essa pesquisa venha contribuir para a prevenção de complicações secundárias como infarto agudo do miocárdio, acidente vascular encefálico, entre outros. Acredita-se que o conhecimento serve como alerta para que a pessoa adote hábitos que minimizem o processo saúde/doença.

Palavras-chave:  Risco cardiovasculares. Hipertensão. Diabetes.

 

 

 

 

REFERÊNCIAS:

 

SBC, Sociedade Brasileira de Cardiologia. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Arq.  Brasileiro de Cardiologia. Sociedade Brasileira de Cardiologia Volume 107, Nº 3, Supl. 3, Setembro, 2016. Disponível em http://publicacoes.cardiol.br/2014/diretrizes/2016/05_HIPERTENSAO_ARTERIAL.pdf. Acesso em 5 de setembro de 2017.

 

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. ¿ Brasília: Ministério da Saúde, 2014. Disponível: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/caderno_35.pdf. Acesso 22 de agosto de 2017.

 

SBD. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes (2015-2016) / Adolfo Milech...[et. al.]; organização José Egidio Paulo de Oliveira, Sérgio Vencio - São Paulo: A.C. Farmacêutica, 2016. Disponível: http://www.diabetes.org.br/profissionais/images/docs/DIRETRIZES-SBD-2015-2016.pdf. Acesso 22 de agosto de 2017.

 

MARCONDES, José Antonio Miguel. Diabete melito: fisiopatologia e tratamento. Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, 2003. Disponível: https://revistas.pucsp.br/index.php/RFCMS/article/viewFile/117/62. Acesso 22 de agosto de 2017.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


UNIFEV - Centro Universitário de Votuporanga